Kingsman: Serviços Secretos [Crítica]

Matthew Vaughn está de volta numa nova adaptação para o grande ecrã de mais uma série de BD. Depois do sucesso de Kickass, Vaughn apresenta-nos Kingsman: Serviços Secretos. Kingsman: Serviços Secretos possui uma premissa simples: adicionar um tom cómico a uma grande filme de ação. Parece uma premissa simples e com os ingredientes certos para o sucesso, mas será que Vaughn conseguiu cumprir as elevadas expectativas depositadas neste filme? A resposta é sim.

Num universo cheio de filmes de ação com um tom demasiado sério, Vaughn conseguiu trazer para o grande ecrã algo único. E fê-lo de uma forma brilhante. Apesar de o filme possuir uma grande quantidade de violência bastante explicita, o tom de “divertimento” com que é tratada, deixa o espectador deliciado com o que está a ver (não é qualquer filme que nos provoca um riso incontrolável numa cena em que vemos centenas de cabeças a explodir).

Outro dos grandes pontos fortes de Kingsman assenta no seu elenco. Colin Firth faz um papel excepcional e bastante credível como agente secreto (algo que me deixou surpreendido pois não é habitual vermos o ator neste registo). É ele quem entrega uma das melhores cenas de ação vistas nos últimos tempos: uma cena frenética dentro de uma igreja. Também o jovem Taron Egerton consegue realizar um excelente desempenho, no papel do desajustado Eggsy (estejam atentos porque ainda irão ouvir falar muito deste ator nos próximos tempos). Samuel L. Jackson entrega, em adição, uma interpretação bastante satisfatória com o seu geek das tecnologias bastante peculiar. Destaque ainda para Mark Strong, Sophie Cookson e para o veterano Michael Caine que ajudam, de uma bela forma, a constituir este elenco.

A realização de Matthew Vaughn é bastante positiva, assim como a edição de Eddie Hamilton e Jon Harris. Apesar das cenas de ação possuírem um ritmo incontrolável e “louco”, sabemos sempre o que se está a acontecer no ecrã. Henry Jackman e Matthew Margeson também contribuem com uma banda sonora que assenta de forma perfeita no tom que o filme apresenta.

Com bastantes semelhanças ao mundo de Bond, Kingsman: Serviços Secretos consegue diferenciar-se deste e de tantos outros filmes de espionagem pelo seu tom cómico. Um tom que há muito faltava num mercado dominado por demasiados filmes de espionagem dramáticos. Matthew Vaughn conseguiu entregar-nos um filme brilhante que entretem o espectador do primeiro ao último minuto.


Veredicto: 9/10

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s