Os 10 melhores filmes de 2015

A altura do ano chegou. A altura em que aparecem lista e mais listas sobre todos os assuntos que possam imaginar. E claro que os filmes também se encontram incluídos nesses gigantescos ‘tops’ de melhores e piores. 

Assim, respeitando a tradição, o Sétima Definição reuniu aqueles que considera serem os melhores filmes de 2015. Tenham em atenção que esta lista apenas se baseia naqueles filmes que, de facto, foram visionados. De fora, poderão estar diversos grandes filmes. Mas como não houve a oportunidade para os ver e para formar uma opinião sobre eles, não os poderia incluir.


1. Star Wars – O Despertar da Força

star_wars

Poderá ser a nostalgia a falar mais alto que o sentido critico, mas a verdade é que o novo filme da saga Star Wars me deu o melhor momento numa sala de cinema. Do inicio ao final do filme, um sorriso cobria todo o meu rosto. Este novo capitulo deu-me tudo o que adorei na trilogia original (esqueça-mos, por completo, as prequelas) e ainda elementos novos igualmente excelentes. O grande destaque vai mesmo para Rey e para a performance de Daisy Ridley. Rey é a heroína que todos pediam há bastante tempo. Kylo Ren também constitui uma personagem muito bem construída. Este vilão não segue o mal porque sim. Existem enormes camadas que o levaram a ser assim e que, de certeza, serão exploradas, com maior profundidade, nos próximos filmes. É esta característica que o torna humano e que faz com que criemos uma ligação (mesmo que seja de ódio) com a personagem. O Finn de John Boyega e o Poe Cameron de Oscar Isaac completam o leque destas novas adições positivas ao universo de Star Wars, assim como o adorável BB-8. Estes novos elementos, em conjunto com os elementos mais “seniores” da saga, são aquilo que me fez vibrar com este filme em todos os minutos e sair da sala de cinema a pedir por mais (ou por um novo visionamento deste). Claro que o filme também possui excelentes sequências de ação, mas, no final, é esta monumental construção de personagens que me faz gostar tanto da narrativa visual que aqui é contada e colocar o filme neste lugar de destaque. Todos os filmes podem ter grandes cenas de ação, todos os filmes podem ter drama, comédia, mas nem todos conseguem ter personagens complexas que nos agarrem à história em todos os momentos. 

 

2. Perdido em Marte

martian

Ridley Scott não poderia ter um melhor regresso. Com uma história fascinante (alguém que fica perdido em Marte e tem que arranjar forma de sobreviver até a ajuda chegar), existiam grandes expectativas para o novo filme do realizador, que, no final, acabaram por ser cumpridas. As quase 2.30h de duração do filme, rapidamente, se transformam em 30 minutos. Do inicio ao fim, o espectador sente-se completamente envolvido na história e acaba o visionamento da mesma a pedir por mais. Para tal efeito, Matt Damon contribui bastante com a sua interpretação. A forma como a sua personagem está construída, com o uso intensivo do humor perante o pior, cria uma forte empatia com quem visualiza o filme (um certo sentimento de pertença). Preocupamo-nos com a história, com aquilo que acontece na história e com o futuro dos nossos personagens.

 

3. Mad Max: Estrada da Fúria

mad_max

Mad Max foi uma das maiores surpresas do ano para mim. Não estando familiarizado com a trilogia anterior, parti para este filme com algum receio. Todo esse receio acabou por se tornar insignificante. Estrada da Fúria deu-me uma das melhores experiências cinematográficas do ano. Com uma cinematografia bela, grandes personagens (como Furiosa), cenas de ação excepcionais e o regresso dos efeitos especiais práticos, este novo capitulo de Mad Max é um filme obrigatório para todos. Quem imaginaria que um filme com a história de “vamos para aquele local e, ao chegarmos lá, voltamos para trás”, daria esta grande obra?

 

4. Kingsman: Serviços Secretos

kingsman

O ano tinha acabado de começar, quando o novo filme de Matthew Vaughn chegou às salas de cinema e me fez afirmar, instantaneamente, que estávamos perante um dos melhores filmes do ano. Vários meses passaram, diversos filmes chegaram e a minha opinião manteve-se intacta. Kingsman: Serviços Secretos é o Bond para a nova geração. O filme sabe que caminha por entre os caminhos típicos de um filme de espiões e usa esse factor a seu favor, de uma forma bastante eficaz. Foi também Kingsman que nos apresentou Colin Firth como uma excelente estrela de ação, Taron Egerton como um dos grandes atores desta nova geração e ainda a melhor sequência de ação do ano (a cena na igreja). 

 

5. Eu, o Earl e a Tal Miúda

me_earl

Um filme que não está a receber qualquer tipo de atenção, mas que deveria. Eu, o Earl e a Tal Miúda é o melhor filme “teen/high school” que recebemos na última década. O filme consegue, extraordinariamente, desconstruir por completo este género no qual se insere e apresentar-nos uma obra com grandes personagens e uma história envolvente. Com uma grande dose de humor e drama Eu, o Earl e a Tal Miúda será um filme que será recordado, durante muito tempo e que será visto e revisto por várias e várias vezes, com o mesmo entusiasmo que a primeira.

 

6. Divertida-mente (Inside Out)

inside_out

A Pixar voltou! Depois de um ano sem filmes (e de uma sequela de Carros), os estúdios Pixar voltaram ao seu esplendor. Divertida-mente (Inside Out) faz-nos chorar e rir, tal como qualquer verdadeiro filme do estúdio nos habituou, ao mesmo tempo que nos conta uma história genial e, acima de tudo, original. Com um argumento de simples compreensão para todas as crianças (mas com um enorme nível de complexidade no seu interior), Inside Out apresenta-nos as mudanças emocionais de Riley, através das suas 5 emoções, quando esta é obrigada a mudar-se com os seus pais para São Francisco e a passar por todas as dificuldades da adaptação a um novo local. Este é um filme para toda a família que ninguém quererá perder!

 

7. Ex-Machina

ex_machina

Ex-Machina é a razão pela qual vejo filme de ficção científica. Sem grandes aventuras espaciais e explosões pela espaço fora, o filme apresenta-nos uma história “simples”, com apenas 3 personagens. Tudo aqui funciona na perfeição, satisfazendo-nos durante todo o seu tempo de exibição. Foi também Ex-Machina que nos apresentou a grande Alicia Vikander. Vikander realiza uma performance excepcional, enquanto Ava, garantindo o seu lugar, por muito tempo, pelo mundo da Sétima Arte. Não nos podemos também esquecer das grandes performances de Oscar Isaac e de Domhnall Gleeson, que ajudam a que Ex-Machina entre, com todo o mérito, nesta lista. 

 

8. Sicario – Infiltrado

sicario

Foi com um pouco de relutância que me dirigi a uma sala de cinema para ver este filme. Um sentimento, muito provavelmente, partilhado por grande parte da audiência (na sessão em que vi este filme, apenas 2 outras pessoas se encontravam na sala). Na verdade, em grande parte, foi a Emily Blunt quem me convenceu a ir até ao cinema ver o seu novo filme e não poderia estar mais feliz por ter tomado esta decisão. Sicario foi uma lufada de ar fresco, no meio de tantos Blockbusters. O novo filme de Villeneuve (realizador de dois dos meus filmes favoritos – Raptadas e O Homem Duplicado) possui um argumento extremamente bem escrito, com personagens fortes e credíveis e uma história intensa (cheia de suspense), que nos deixa agarrados ao ecrã do primeiro ao último minuto. De destacar ainda as grande performances por parte de Emily Blunt (uma nomeação a Óscar mais que merecida), Benicio Del Toro e Josh Brolin, assim como a cinematografia excepcionalmente bela de Roger Deakins.

 

9. Vingadores: Era de Ultron

avengers

E a lista continua com um filme controverso. A Era de Ultron era um dos filmes mais esperados de 2015. Todos o aguardavam com expectativas demasiado altas e, talvez seja por isso, que vários o criticaram após o seu lançamento. Porém, para mim, o filme funcionou. Entregou-me tudo aquilo que eu estava à espera, conseguindo ser superior ao primeiro. Ultron é um grande vilão (com a incrível performance de James Spader) e todos os “antigos” Vingadores funcionam na perfeição, juntamente com as novas adições à equipa. O filme possui ainda diversas cenas de ação que nos entretem do principio ao fim (Hulkbuster Vs. Hulk) e ainda conseguiu fazer com que uma das personagens mais odiadas do primeiro filme (Hawkeye), se tornasse numa das mais amadas.

 

10. The Hunger Games: A Revolta – Parte 2

mockingjat

Adorado por muitos, odiado por muitos. A conclusão da épica saga Hunger Games foi, à semelhança da Era de Ultron, um filme bastante controverso. Se existiram bastantes pessoas que, como eu, o adoraram, existiram outras que partilharam  uma opinião contrária. Ora, o que se pode dizer deste capitulo final é que constitui, essencialmente, uma homenagem aos fãs dos livros. A adaptação foi completamente fiel ao material presente no livro de Suzanne Collins. Nada mais poderia pedir. Para além disso, a grande performance de Jennifer Lawrence foi mais um dos factores que me levou a incluir o filme nesta lista. Acima de tudo, o filme manteve-me sempre entretido, dando-me uma ótima experiência no cinema. Na minha perspetiva, estamos perante um final fenomenal para a grandiosidade desta saga!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s