Em Análise: La La Land – Melodia de Amor, em Blu-ray

O vencedor de 6 Óscares da Academia 2017, La La Land: Melodia de Amor, chegou, por fim, em Blu-ray e DVD. Com edições, unicamente, simples anunciadas, não se esperava muito do lançamento para este grande filme. Mas, será que esta previsão se verificou ou tivemos uma surpresa?


Apresentação (1/5)

Não há muito a dizer. Mais uma vez, temos a apresentação banal que o mercado português já nos habituou. Uma caixa de plástico, com um papel de especificações e um disco no seu interior. Nada mais, nada menos. É verdade que a Fnac recebeu uma edição exclusiva com a Banda Sonora e um poster, mas, em termos de apresentação, essa edição é idêntica a esta “simples”. Foi essa mesma semelhança que me fez optar por esta edição e não pelo exclusivo Fnac. Oferecia-me conteúdo a mais, sim, mas não me dava nenhuma apresentação superior pelo preço adicional que pagaria.

Imagem (1/5)

Uma imagem desformatada. A transferência do nosso disco apresenta-se com a imagem, claramente, desformatada. É  visível que, por qualquer razão sem sentido, a distribuidora optou por esticar a imagem do filme para preencher todo o ecrã, resultando numa perda de informação visual em cada plano. Por consequência, esta atitude, provocou ainda diversas quebras na qualidade visual de La La Land. A transferência apresentada pela PRIS Audiovisuais faz com que parte da beleza cinematográfica deste desapareça. Os planos aparecem com um constante ruído digital, derivado do zoom aplicado às mesmas. Assim, detalhe falta nos close-ups e mesmo nos planos mais gerais, vários elementos aparecem desfocados. Se não soubesse que estava perante um disco Blu-ray, poderia, muito facilmente, confundir esta transferência com um DVD. Curiosamente, se no filme em si o mesmo aparece com um aspect ratio errado, nos materiais de bónus, todos os planos do filme aparecem corretos. É este tipo de atitudes que não se compreende…

 

Som (3/5)

Se as falhas na imagem já não fossem vergonhosas, o som também não ajuda a melhorar esta edição. É verdade que a faixa em DTS-HD Master Audio 5.1 é competente, conseguindo reproduzir as diversas nuances sonoras com clareza e ganhando força durante os momentos musicais. Os diálogos também aparecem claros e sempre numa posição privilegiada em relação aos restantes sons. No entanto, fica a sensação de que falta algo que nos poderia ser entregue com a faixa Dolby Atmos, com a qual este filme foi presenteado na sua transferência “original” em vários países. Muito do ambiente surround encontra-se perdido, provocando uma falta de imersão sonora no espectador.

 

Materias de Bónus (5/5)

Eis que algo surge para salvar esta edição. Os materiais de bónus presentes no disco de La La Land são mais que satisfatório, entregando ao espectador um olhar rico e completo aos bastidores do filme. Os mesmos também vêm todos legendados em português o que, atualmente, já se tornou uma raridade.

– Mais um dia de som em que fecharam a auto-estrada (10:36): uma abordagem bastante interessante ao número de abertura do filme com declarações pertinentes do realizador e de toda a equipa técnica, passando por tópicos como ensaios, preparação da cena e até problemas encontrados na rodagem.

A Grande festa de La La Land (05:07): o que ocorreu no extra anterior, acontece neste mesmo segmento, mas a nossa atenção é virada para o número musical da festa inicial.

– Ryan Gosling: Aluno de piano (05:02): uma pequena peça onde o ator, o realizador, produtor, compositor e uma professora de piano debatem a evolução e aprendizagem de Gosling no piano.

– O projeto apaixonante de Damien Chazelle (10:12): a forma de como este projeto com mais de 10 anos se concretizou e como o último filme de Chazelle, Whiplash, abriu o caminho para La La Land. Com este featurette, acima de tudo, vemos como La Land Land é importante para Chazelle e todos os obstáculos que esteve teve que ultrapassar para a construção do mesmo.

 – Declaração de amor a Los Angeles (06:56): uma pequena demonstração, numa espécie de visita turística, dos vários locais da cidade de Los Angeles presentes no filme e de como os mesmos foram adaptados para se enquadrarem na cinematografia de La La Land.

– A música de La La Land (13:31): o compositor do filme leva-nos através de todo o processo desenvolvido até alcançar os sons finais do filme.

– A estreia de John Legend na representação (08:47): o nome diz o que é. Pequeno featurette sobre esse feito, com comentários do John e do realizador.

– A aparência do amor: O design do filme (08:47): uma pequeno featurette que explica como a cinematografia, em conjunto com a cenografia e o guarda-roupa, contribuíram para contar a narrativa de La La Land.

– Ryan e Emma: À terceira é de vez (05:50): os cineastas debatem a química existente entre a Emma e o Ryan no ecrã.

– Epílogo O Romance do Sonho (07:54): o realizador leva-nos numa viagem através da construção da sequência final, desde os cenários ao guarda-roupa e passando pela coreografia.

– O realizador Damien e o compositor Justin cantam as demos What a Waste Of a Lovely Night e City of Stars (01:55+03:13)

– Trailer (2:12)


Veredicto final (2.5/5):

É bastante triste ver o que esta edição poderia ser e naquilo que se transformou. Uma apresentação demasiado simples, com falhas graves na imagem e falhas menores no som que não estão à altura desta obra prima. Apenas os materiais de bónus a tentaram igualar. Infelizmente, para quem queria adquirir o filme, não há mais nenhuma opção. A nossa edição é a única com legendas em português, o que significa que não encontrarão nenhuma semelhante noutros mercados. Apesar de tudo, e pelos erros cometidos pela distribuidora, não posso recomendar esta edição a ninguém… mas sendo a única opção disponível… torna-se uma decisão difícil…

3 Comments Add yours

  1. Spirit diz:

    Eu comprei a versão com o poster e a banda sonora. Adorei o filme e vi duas vezes no cinema, tinha de o comprar. Gostava de mais mas isto terá de servir.

    Gostar

    1. O maior problema é que, mesmo depois da PRIS ter conhecimento sobre o erro da edição, nada fez para o corrigir. Isso sim é lamentável…

      Gostar

      1. Spirit diz:

        Estão a matar o home video com estas escolhas :/

        Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s