Em análise: A Bela e o Monstro, em Steelbook

Com a simplicidade a atingir todas as edições de A Bela e o Monstro lançadas em Portugal, uma pequena investigação teve que ser feita, na esperança de encontrar uma edição superior às nossas. A procura revelou-se curta, já que a solução a este problema depressa apareceu. E muito mais próxima do que se poderia imaginar…


Apresentação (5/5)

Bastou uma pequena deslocação ao país vizinho para encontrar uma edição digna deste filme. Com apenas edições simples a chegarem ao nosso mercado, o Steelbook da vizinha Espanha aparentava ser a opção certa para este lançamento. Com uma arte excecional e com os mesmos discos e preço semelhante às edições portuguesas, depressa este lançamento espanhol conquistou-me. E, agora com ele nas minhas mãos, não poderia estar mais feliz com a compra realizada!

Com uma arte belíssima – se esquecermos o já padrão Disney com falta de título na capa e lombada – esta é uma edição que agradará a qualquer fã do filme. Fiquei só confuso com a adição dos objetos animados na lombada e não das personagens principais, como a Bela ou o Monstro. Para completar a arte, poderão também encontrar neste Steelbook um acabamento muito bom. A rosa na capa apresenta-se com um efeito de brilho, em oposição ao restante cenário mais opaco, permitindo criar uma jogo visual bastante interessante. Já a contracapa é toda brilhante, enfatizando ainda mais a belíssima ilustração escolhida para a mesma. Mais uma vez, a arte dos discos (e falta dela) continua a ser um dos pontos mais fracos da Disney. O Blu-ray vem com o já típico fundo azul, enquanto que o Blu-ray 3D é acompanhado com o design estranho que a Disney sempre adotou nestes discos.

Imagem (5/5) in Blu-ray.com

A Bela e o Monstro chega-nos em Blu-ray com uma transferência esplêndida, sem qualquer tipo de falhas. A imagem surge apenas limitada pela resolução disponível (difícil não imaginar ficaria em 4K). A película filmada em digital acarreta um limpa e resplandescente imagem, com um detalhe impressionante e uma cor saturada, mas necessária para a representação dos vários locais do filme, com as suas particularidades de iluminação. Por exemplo, logo num dos primeiros momentos musicais do filme – Belle -, a imagem brilha com uma intensa variedade de cores. Aliás, cada número musical do filme é dotado de brilhantes cores, que saltam, naturalmente, do ecrã. Todos os verdes da vegetações e das colinas apresentam-se, também, intensamente saturados, com ainda os azuis do céu a impressionar. Nos momentos mais escuros do Castelo, a profundidade da sombra é excelente e, até com pouca luz, é possível visualizar os mais pequenos detalhes. Os tons de pele aparecem com uma naturalidade precisa. Complexos detalhes de guarda-roupa conseguem ser distinguidos entre si, mesmo em momentos com uma luz pouco intensa. A claridade é, aliás, uma das muitas qualidades desta transferência. Não há nenhum canto sombrio à vista e o ruído é mantido no mínimo, nesta que é uma transferência visual maravilhosa por parte da Disney.

 

Som (5/5) in Blu-ray.com

A Bela e o Monstro apresenta-se com uma faixa (na sua versão original) em DTS-HD Master Audio 7.1 que captura quer os momentos musicais do filme, quer os pequenos detalhes de meio ambiente, com um clareza fabulosa. Por exemplo, a sequência de abertura na sala de baile, ecoa, suavemente, com uma ampla postura envolvente. Os detalhes de cada instrumento são audíveis e a separação entre os mesmos magnífica, com um sentido de imersão preciso. Tal característica não se encontra presente, unicamente, nesta sequência inicial. Transporta-se para todos os momentos musicais do filme. Todas as canções clássicas foram trabalhadas com cuidado, colocando os instrumentos e as vozes (letras) numa posição central e com uma excelente difusão, até para equipamentos sonoros mais pequenos. Os ambientes soam como elementos vivos,  acompanhados de música ou não. Todos os detalhes do meio ambiente são, assim, excelentes, quer sejam preenchidos por um poderoso trovão ou por sons animais distantes. De referir também que a grande sequência de ação no final do filme oferece um agradável conjunto de detalhes sónicos mais intensos, que carregam as cenas de uma precisão caótica. Por último, o diálogo aparece sempre claro e numa posição prioritária. Esta, à semelhança da imagem, é uma banda sonora magistral por parte da Disney.

 

Materiais de Bónus (3/5)

Se até agora não existiam palavras suficientemente boas para descrever o grande poder desta edição, eis que chegamos a um momento em que não sentiremos essa dificuldade. Mais uma vez, numa já típica tradição de lançamentos Disney, os materiais de bónus não acrescentam muito à edição e ao filme em si. Aliás, parece que esta constitui uma versão condensada de uns excelentes bónus que a Disney se esqueceu de colocar na edição. Mas vá, nem tudo é mau. O pouco que nos é entregue está totalmente legendado em português.

Mesa Encantada (13:31): este é talvez um dos featurettes mais interessantes de toda a edição. Sentimo-nos completamente transportados para aquele momento especial que foi a primeira leitura do guião do filme. Porém, ao mesmo tempo que somos transportados, depressa somos retirados daquele mundo de fantasia. É-nos apresentada uma versão demasiado condensada que nos deixa a desejar pela versão completa daquela sessão (mesmo que durasse horas e horas). Mas não se preocupem. O que está aqui é bom.

Um conto encantado (27:08): aqui está, digamos, uma espécie de making of para o filme. E “uma espécie de” é mesmo a expressão correta para o descrever. Não posso afirmar que este é o verdadeiro olhar aos bastidores da película porque nos é entregue uma visão um pouco “sombria” e com “algum ruído”. Os vários capítulos presentes – desde abordagem aos atores, momentos musicais, cenários ou até efeitos visuais – parecem estar num constante fast forward, saltando momentos e curiosidades cruciais para qualquer peça deste género.

As mulheres de A Bela e o Monstro (05:17): esta peça aborda não as personagens femininas do filme, mas sim o talento por detrás das câmaras. A editora, diretora de casting, responsável pelo guarda-roupa e pela decoração dos cenários são chamas a explicar aquilo que fizeram no filme e o que as levou a enveredar pela indústria de Hollywood.

Da música ao ecrã – criar as sequências musicais (13:26): uma parte do making of condensado foi enviada para este vídeo. Juntamente, foi também transportada a falta de informações. Assim, é-nos entregue uma explicação de como se construíram os número musicais do filme – Belle, Be Our Guest, Gaston e Beauty and The Beast – mas com um foco muito pequeno nos pormenores dos mesmos. Aparece uma curiosidades aqui e ali, mas nada que os fãs do filme já não soubessem. São muito mais ricas as imagens de bastidores exibidas, que a informação fornecida pelo intervenientes nesta peça.

Canção prolongada Days In The Sun, com introdução do realizador Bill Condon (04:08): o título fala por si. Esta é uma versão alternativa do momento musical com uma explicação por parte do realizador, relativo ao porquê da necessidade da substituição da mesma.

Cenas eliminadas (06:23): as típicas cenas eliminadas estão presentes – aquelas que nada de novo acrescentam à narrativa. Porém, existe um momento especial entre a Bela e o Gaston que nos faria compreender melhor o novo passado que acrescentaram a Gaston, nesta versão do filme. A cena adicionaria apenas uns segundos à duração do filme e tornaria este pequeno ponto da backstory da personagem mais rico. Apesar de tudo, a exclusão deste segmento não prejudica a narrativa do filme como um todo.

Um momento com Celine Dion (03:24): uma pequena entrevista com a cantora, na qual esta aborda o seu envolvimento com o filme de animação original e o convite que surgiu para regressar ao mundo de A Bela e o Monstro, com a versão em live action. Este é só um pequeno momento de curiosidade que nada acrescenta à edição e, caso fosse ocultado da mesma, ninguém sentiria a sua falta.

Video musical A Bela e o Monstro, de Arina Grande e John Legend (04:01)

Fazer o vídeo musical de A Bela e o Monstro, de Arina Grande e John Legend (02:07): um mini making of relativo à produção do vídeo que nada mais é que uma sequência de imagens de bastidores, acompanhada por depoimentos padrão dos intervenientes.


Veredicto (4.5/5)

Com uma apresentação belíssima e com uma imagem e som exemplares, esta edição Steelbook de A Bela e o Monstro deverá ser aquela que todos os fãs do filme deverão adquirir. Pelo mesmo preço que estarão a pagar pela edição 3D simples vendida em Portugal, conseguem obter um edição superior em todos os aspetos. E, não nos esqueçamos também que os discos que acompanham este Steelbook, são os mesmos das edições portuguesas. Por isso, áudio e legendas em português estão garantidos. O único ponto menos positivo a apontar a este lançamento é mesmo os materiais de bónus. Numa já típica atitude Disney nos seus lançamentos, existe uma condensação forte dos mesmos, ficando a sensação que muita informação foi retida pelo estúdio.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s