Boicote Disney Portugal


Na era em que o 4K começa a ganhar terreno, foi-nos retirado o Blu-ray, qualquer opção de o adquirir lá fora e é-nos entregue um formato arcaico, que já nem deveria estar em circulação. Chegou a altura de agir e mostrar à Disney que os colecionadores portugueses também merecem respeito!


É com uma enorme tristeza que me sento, agora, a escrever este artigo. Tristeza por ver que o nosso pequeno, mas muito amado, mercado do Home Vídeo está a sofrer cada vez mais às mãos da tirania das distribuidoras e dos estúdios que estas representam. E qual a razão para toda esta revolta?

Bem… Esta semana, chegou ao conhecimento do Sétima que, mais uma vez, não haverá edição Blu-ray para um dos filmes de animação da Disney-Pixar: Coco. Depois do desastre que foi o lançamento de Carros 3, e da enorme revolta que originou juntos dos colecionadores nacionais, a Disney voltou a cometer um erro gravíssimo, não disponibilizando uma edição em alta definição para Coco (apenas o DVD chegará às lojas). Pior… aparentemente, à semelhança do que aconteceu com o filme da saga de Faísca McQueen, nenhum disco internacional Blu-ray virá com opções em português, fechando-nos completamente a aquisição de edições substitutas lá fora. Algo que, no passado, seria impensável para qualquer lançamento Disney (principalmente nos discos do país vizinho – Espanha), parece estar a tornar-se na norma.

E de quem é a culpa em todo este processo? Diretamente, vem da própria Disney “Mãe” que, estupidamente (não há mesmo outra palavra), resolveu retirar as opções em português dos seus discos Blu-ray, sem qualquer justificação. Mas, não podemos culpar uma só entidade neste complexo processo. Como segunda condenada surge a NOS Audiovisuais. A distribuidora de todos os títulos da casa do Rato Mickey, que nada faz para combater esta situação. Aliás, já por várias vezes foi demostrada a revolta dos colecionadores junto da distribuidora e a mesma, simplesmente, remeteu-se ao mais puro dos silêncios, revelando uma ignorância extrema.

É a NOS, como distribuidora da Disney (e como intermediário com a mesma), que consegue ter um contacto muito mais direto com o estúdio. Como tal, deverá demostrar aquilo que o consumidor dos seus produtos deseja obter. E sim, muitos poderão argumentar que as vendas de edições Blu-ray de anteriores filmes Disney têm sido fracas, mas a culpa aqui recai sobre a Disney/NOS, que não têm a mínima preocupação em lançar para o mercado produtos de valor. Isto é, edições especiais que, de facto, correspondam às necessidades demostradas pelos colecionadores. Colecionadores esses que, apesar de todo os maus tratos a que são sujeitos, ainda tentam apoiar e salvar, a todo o custo, o mercado português do Home Video. Mas, deixem-me recapitular os desastres passados…

A falta de profissionalismo da Disney/NOS remonta ao lançamento do filme Á Procura de Dory. Aqui, como bem se recordam, um Steelbook chegou ao nosso mercado. Mas esta foi uma edição metálica, completamente, “cortada” em todos os aspetos: sem disco de extras (que estava presente em todos os mercados internacionais), com uma apresentação desastrosa (espaço para três discos, estando apenas dois na edição) e um preço exagerado. Em contrapartida, em Espanha, esse mesmo Steelbook veio com os três discos (3D+2D+Extras), opções em português e a um preço muito mais acessível. O resultado foi uma fuga generalizada dos colecionadores nacionais para a edição espanhola.

Um outro exemplo, ainda mais recente, ocorreu com o muito aguardado live action de A Bela e o Monstro. O terceiro filme mais visto em Portugal em 2017, com mais de 500 mil espectadores, teve um tratamento igual a qualquer desastre de bilheteira. Como isto, perguntamos como é possível tamanha indiferença por parte do estúdio?

Até lançamentos Marvel, distribuídos pelo estúdio, têm estado à mercê da impiedade desta gigante do entretenimento, salvando-se apenas Star Wars. Guardiões da Galáxia, Vol.2 teve a mesma simplicidade de A Bela e o Monstro e o mais recente Thor Ragnarok seguirá a mesma linha, obrigando, mais uma vez, os colecionadores nacionais a recorrerem ao mercado Espanhol. Aliás, Thor Ragnarok, seguirá uma pior, uma vez que a edição em Blu-ray 3D foi, completamente, eliminada do nosso mercado. E nem falemos do 4K… esse é apenas uma miragem para o território nacional.

Com tudo isto, quero apenas apontar que, ao contrário do que os números de vendas da Disney poderão indicar, existe um forte mercado e um elevado interesse por edições Blu-ray Disney em Portugal.Mas esse interesse reside sobre edições especiais (como Steelbook). E, enquanto estas “regras” para os lançamentos continuarem – com a falta de edições Blu-ray e qualquer tipo de edição especial – há um concensso junto de todos os coleccionadores nacionais, que um BOICOTE TOTAL deve ser realizado a todo e qualquer produto que a Disney/NOS entregue ao mercado! E o Sétima Definição apoia, e encoraja, essa medida! Há uma completa falta de respeito para com o colecionador nacional e isso precisa de acabar.

Poderão, até, dizer que esta medida tão extrema fará com que a Disney se afaste, cada vez mais, do nosso mercado. Porém, será difícil encontrar algo pior que a situação atual. Volto a repetir as minhas palavras iniciais… Na era em que o 4K começa a ganhar terreno, foi-nos retirado o Blu-ray, qualquer opção de o adquirir lá fora e é-nos entregue um formato arcaico, que já nem deveria estar em circulação. Garanto que pior, não ficaremos.

Esta mensagem já seguiu para a NOS Audiovisuais (ainda sem resposta, claro) e, em breve, será enviada à Disney, na esperança de que este acontecimento se transforme numa má (e única) lembrança do passado.

14 Comments Add yours

  1. Pedro Pacheco diz:

    E, pelos vistos, a mesma política vai ser aplicada aos lançamentos da Marvel também, já a partir do “Black Panther”, que a Fnac colocou hoje em pré venda só em DVD. Resta saber se até à data de lançamento em Julho vai surgir, pelo menos, o Blu-ray simples, ou se ao público português vai ser negado o acesso legendado aos filmes da Marvel Studios em alta definição, à semelhança do que começou a suceder com a Disney. Imagine-se, por exemplo, “Vingadores A Guerra do Infinito” ser editado em Portugal unicamente em DVD!!!

    Gostar

  2. Spirit diz:

    Só espero que com isto eles não tirem também a versão DVD e acabem completamente com filmes da Disney em formato físico. Que desgosto que seria.

    Gostar

    1. Na verdade, a existência, ou não, do DVD tornou-se indiferente para qualquer colecionador. Ninguém se encontra disposto a investir num formato do passado, quando existem opções superiores disponíveis. Já para não falar da falta total de qualquer material de bónus na edição em DVD e dos preços absurdos praticados.

      Gostar

      1. Spirit diz:

        Isso é verdade. Eu dou mais valor às edições com bónus e já nem se preocupam em oferecer isso aos portugueses. Mas não irei ficar contente se no futuro for a uma Fnac e não vir nenhum filme da Disney e Pixar de todo.

        Gostar

  3. Ao contrário do que é aqui dito, “Coco” foi lançado no mercado asiático (Hong Kong e Taiwan)em blu-ray com legendas e áudio em português do Brasil.

    Gostar

    1. O artigo está direcionado, apenas, para as opções em Português Europeu e para a situação vivida no mercado Home Video de Portugal. Para esse universo, não existe qualquer solução a nível internacional.

      Gostar

  4. Cipri diz:

    Ao menos deixavam a versão PT no blu-ray espanhol. Podiam não lançar cá em Portugal, mas sempre davam a oportunidade de comprar lá fora.

    Gostar

    1. É mesmo essa atitude drástica que não se compreende. Se não queriam lançar mais Blu-ray por cá, por não conseguirem obter o lucro desejado, tudo bem. A verdade é que cada vez mais pessoas compravam tudo o que era Disney no mercado espanhol… Agora, retirar as legendas de todos os discos, excluindo-nos de qualquer opção de compra, é só inaceitável!

      Gostar

      1. Cipri diz:

        Exactamente. Não se compreende essa medida tão drástica. Só espero que não sigam essa política para os filmes da Marvel…

        Gostar

      2. Cipri diz:

        Não sei até que ponto faria alguma diferença ou não, mas podia-se criar uma petição, para sensibilizar a Disney e evitar que isto volte a acontecer. Mal não fazia…

        Gostar

      3. Sim, é uma opção. Embora a própria Disney já tenha sido confrontada com isto (inclusive a “Disney Mãe” Europeia) e, simplesmente não quiseram saber. Numa daquelas respostas padrão, apenas disseram que as vendas no nosso mercado não justificam o lançamento de Blu-ray. Esquecem-se é que, aqui, a culpa é toda deles por não disponibilizarem as edições certas.

        Gostar

  5. Cipri diz:

    Posso usar partes deste texto para criar uma petição?

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s