Em Análise: Shazam, em Steelbook

Disponibilizado em Portugal durante o mês de julho, Shazam! chegou de forma bastante limitada. Com isto, aguardamos até que uma melhor edição surgisse. Agosto chegou e, agora, a caminhar de setembro, pensamos ter encontrado a melhor opção (também a mais acessível) para quem deseja dar um pouco mais de “brilho” a Shazam! na sua coleção.


Apresentação (5/5)

Sentimos que esta é a edição certa a adquirir para Shazam. Isto, claro, se não se importarem com a ausência de legendas em português nos discos Blu-ray e Blu-ray 3D, estando apenas o 4K Ultra HD munido de opções no nosso idioma. Contudo, é sempre possível trocar os discos franceses pelos portugueses. Basta apenas aguardar alguns meses para que uma promoção inevitável surja. Até lá, poderão admirar a beleza desta edição.

Várias foram as opções metálica criadas para o lançamento Home Video de Shazam. Mesmo com o design seguido pelo Steelbook em análise, surgiram múltiplos acabamentos, que originaram diferentes opções para destintos mercados. 

O mercado francês recebeu este belíssimo Steelbook, que conseguiu elevar uma arte, aparentemente, simples. Simples, mas eficaz. Com os diversos acabamentos de relevo/baixo-relevo (em especial no relâmpago de Shazam), assim como com vários efeitos de brilho (ou falta dele) ao longo de todo o Steelbook, uma arte que parecia banal, tornou-se em algo muito especial.

Mas não só da estética vive esta edição. O Steelbook torna-se mais completo, quando todos os formatos em que o filme foi disponibilizado (4K Ultra HD, Blu-ray 3D e Blu-ray) são adicionados. Um perfeito exemplo de como é possível lançar uma edição completa no seu conteúdo e na sua apresentação, sem exigir um preço absurdo para o mesmo. O valor de 30€/35€ pedido, torna-se junto para aquilo que nos é entregue.  E, com as constantes reduções de preço praticadas pela Amazon, um pouco de paciência trará uma edição ainda mais acessível. 


Imagem (4/5)

As nossas análises à qualidade de imagem dos mais recentes lançamentos estará, rapidamente, a tornar-se repetitiva. Em qualquer novo título, captado pelas mais recentes câmaras e finalizado com o recurso às melhores tecnologias, não esperamos nada para além de perfeição na imagem. Pelo menos, o nível de perfeição que o formato Blu-ray permite. É isso mesmo que encontramos em Shazam. Uma ótima transferência visual por parte da Warner, que reproduz com exactidão o universo deste “novo” super-herói. 

Se as anteriores entradas cinematográficas do universo da DC eram identificadas pelo seu ambiente, predominantemente,  “escuro e estilizado”, Shazam fugiu a essa tendência. O filme exibe o universo desta personagem, de um modo mais contido e, acima de tudo, realista. Uma opção estética que espelha a história mais “banal” (mais real) retrata por Shazam. Afina de contas, a narrativa do filme centra-se  nas aventuras de um miúdo e de como este encara o facto de ter ganho super-poderes. 

Contudo, isto não quer dizer que, através desta abordagem, o aspeto do filme saia prejudicado. Aliás, com uma grande percentagem da ação central de Shazam a decorrer em espaços do dia-a-dia, faz todo o sentido o uso de um visual “moderado” para um instantâneo reconhecimento por parte do espectador. Assim, não é de estranhar que cenas de exterior, durante o dia, surjam repletas de luz, com um contraste mais limitado mas, apesar de tudo, com cores pronunciadas. Em oposição, outras decorridas durante a noite, ou em dias mais nublados, o contraste é maior, permitindo, que elementos com maior luz ou mais cor (como é o caso do uniforme de Shazam), saltem do ecrã . Acima de tudo, existe um retrato exato da realidade. 

Mesmo neste centro do real, elementos de CGI surgem como parte integrante do universo de Shazam, não de destacando dos demais componentes presentes em cena. O ruído é também algo raro na transferência de Shazam, existindo uma constante imagem detalhada ao longo de todo o filme. 


Som (2.5/5)

Torna-se estranho que Shazam chegue com uma faixa em Dolby Atmos e, mesmo assim, demonstre várias limitações na sua amplitude. Para conseguir desfrutar, totalmente, das valência deste áudio, é necessário um aumento significativo do volume do mesmo, desde os segundos iniciais do filme. Contudo, mesmo com este incremento realizado, a faixa nunca consegue alcançar um total poder. 

Talvez tenha existindo a intenção de estender o realismo do visual à componente sonora de Shazam mas, eventualmente, esse desejo tenha sido levado ao extremo. Apesar de existir uma boa distribuição dos sons pelo espaço, ao longo de todo o filme, aproveitando as valência do Atmos, sentimos que falta sempre alguma força à faixa. Quase como se esta tentasse, algo mais que, constantemente, surge bloqueado por algum elemento. 

Em momentos em que a banda sonora domina, a faixa ainda consegue agarrar a atenção do espectador, mesmo que momentânea. Já em momentos mais calmos, dominados por diálogo, perde o seu estatuto, tornado-se, até, por vezes, pouco audível, sem um aumento de volume. Acima de tudo, sentimos que falta balanceamento à faixa, exigindo uma mudanças constante de volume, ao longo de todo o filme. 


Materais de Bónus (4/5)

Apesar de o objeto da análise se centrar numa edição disponibilizada no mercado francês, as particularidades do disco disponibilizado refletem aquilo que também foi disponibilizado por terras lusas. À exceção da falta de legendas em português, tudo o resto é similar, incluido a ausências das legendas no nosso idioma nos materiais de bónus. Esquecendo este facto, que já é a norma para os lançamentos da Warner, temos presente um conjunto de extras mais do que satisfatório, que agradará a qualquer um.

– SuperHero Hooky (04:05): Os materiais de bónus de Shazam iniciam-se com um pequeno “presente” para os fãs, em forma de animação. Uma pequena curta-metragem animada, que relata uma das aventuras da família Shazam, após os eventos do filme, através de uma pequena manipulação animada das páginas da banda-desenhada. Ou seja, esta história é apresentada como se uma verdadeira página de banda-desenhada tivesse, simplesmente, sido animada. Como pequeno bónus, as vozes das personagens são executadas pelos próprios atores do filme. 

– The Magical World Of Shazam (27:09): Este é o making of de Shazam, que apesar da sua aparente curta duração, consegue satisfazer a maior das curiosidades. Sendo, relativamente, curto, existiu a preocupação em selecionar apenas os conteúdos relevantes. Qualquer elemento redundante ficou, assim, de fora e encontramos um produto capaz de transmitir mais detalhes de bastidores, que longos documentários. Este making of de Shazam centra-se, essencialmente, nas principais cenas de ação do filme e como a sua construção se sucedeu.  Como tal, tópicos como argumento, guarda-roupa, construção de cenários e efeitos visuais (CGI) são abordados com uma multiplicidade de imagens das gravações, suportadas pelas intervenções dos vários cineastas de Shazam e do seu elenco. 

– Super Fun Zac (03:19): O nome deste featurette não esconde nada. Nuns curtos três minutos, vários elementos do elenco elogiam a boa disposição de Zac nas gravações, com diversas imagens de bastidores do ator. 

– Deleted & Alternate Scenes With Director’s Intro (37:28):  40 minutos repletos de novos momentos ou pequenas adições a cenas já existentes que, em conjunto, conseguiriam, facilmente criar uma nova versão de Shazam. Com isto, não conseguimos determinar se estas cenas agora reveladas são boas ou más. Apenas não encaixam no filme que recebemos. Contudo, o grande destaque para este extra está presente nos comentários do realizador (David Sandberg), que antecedem cada cena. Aqui ficamos a conhecer o porquê de determinada cena extra existir, assim como a razão pela qual foi eliminada do produto final. Inclui: Wizards Prologue, Alternate Beginning, Billy On the Subway, Alternate Intro to Group House, Alternate Dr. Cosby and Dr. Sivana Interviews, Billy Sneaks Out, New School With Darla, Sivana Christmas Party, Shazam and Darla Tea Party, Alternate Lightning With My Hands, Additional Montage Beats, Freddy Hung From Locker, Alternate Carnival Fight, Freddy Fishes By Airplane, Family on Thrones, Alternate Ending Family Beat. 

– Gag Reel (03:16): apenas os bloopers (erros de gravação) do filme. 

– Who Is Shazam? (05:42): Este é o featurette de “praxe” para qualquer adaptação cinematográfica, de qualquer herói da banda desenhada. A sua origem é sempre alvo de análise, através das palavras daqueles de dão vida a Shazam nas páginas da BD, assim como pelo novo grupo de pessoas que o levaram até ao grande ecrã. Shazam não foi a exceção e aqui temos presente essa exploração. É algo que faz todo o sentido inclui, uma vez que permite que quem não esteja tão familiarizado com a personagem, consiga compreender melhor todo o universo que esta habita. 

– Carnival Scene Study (10:23): Este parece um elemento que, facilmente, poderia (e deveria) estar incluido no making of do filme, apresentado no início. Mas, assim, conseguimos preencher as fichas técnicas das edições com ainda mais materiais de bónus, não é? Ironias à parte… aqui poderão ver a desconstrução do clímax do filme. A batalha final em Shazam e toda a sua execução é apresentada. Recriando aquilo já presente em The Magical World of Shazam, elementos como argumento, guarda-roupa, construção de cenários e efeitos visuais (CGI) são abordados com uma multiplicidade de imagens de bastidores. 

– Shazamily Values (06:06): finalizamos os materiais de bónus de Shazam com uma simples comparação entre as versões “em criança” da família Shazam e as suas representações “em adulto”. Infelizmente, surge como um pouco redundante, uma vez que não adiciona nenhuma informação de relevo à produção do filme. 


Veredicto (4/5)

Apesar da ausência das legendas em português no disco Blu-ray, não podemos negar a beleza óbvia desta edição Steelbook, que se apresenta como forte candidata a uma das melhores versões metálicas do ano. O mais completo conteúdo da mesma (contendo todos os formatos nos quais o filme foi disponibilizado), aliado a fortes materiais de bónus e qualidade visual, tornam a mesma numa das melhores compras para quem queira adicionar Shazam à sua coleção. A edição peca apenas por algumas limitações da sua faixa áudio, mas isso será uma problema adjacente a todos os discos disponibilizados para o filme e não apenas para esta versão.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s